PIB do Agronegócio Brasileiro

 

Acesse aqui a série histórica do PIB do agronegócio brasileiro.

 

 

O Cepea calcula o PIB do Agronegócio com apoio financeiro da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

 

                                                                                                  

 

 

                                                      

 

Comentários de janeiro a dezembro de 2020 clique aqui e acesse o relatório completo

 

O PIB do agronegócio brasileiro subiu com força ao longo de 2020 e acumulou avanço recorde de 24,31% no ano, de acordo com cálculos do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP, realizados em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).

 

Diante disso, o PIB do agronegócio brasileiro alcançou participação de 26,6% no PIB brasileiro, contra 20,5% em 2019. Em valores monetários, o PIB do País totalizou R$ 7,45 trilhões em 2020, e o PIB do agronegócio chegou a quase R$ 2 trilhões.

 

Segundo pesquisadores do Cepea, o PIB do setor cresceu lentamente em abril e em maio, devido aos impactos negativos da pandemia de covid-19 sobre diferentes atividades do setor, mas houve forte aceleração de junho em diante, culminando nesse crescimento recorde observado.

 

Em 2020, o PIB teve alta para todos os segmentos do agronegócio, até mesmo para a agroindústria, que foi o segmento mais afetado pela pandemia. Especificamente, as variações no ano foram de 6,91% para os insumos, de 56,59% para o segmento primário, de 8,72% para a agroindústria e de 20,93% para os agrosserviços. Ademais, o excelente desempenho foi registrado para os dois ramos: o agrícola teve alta de 24,2% e o pecuário, de 24,56%.

 

Para os agrosserviços, o resultado positivo do PIB refletiu, primeiramente, a continuidade do abastecimento do mercado doméstico pelo agronegócio e o excelente desempenho do setor em termos de exportações – implicando grande uso de serviços de comércio, transporte, armazenagem e também outros serviços. Quanto ao segmento primário do setor, o importante crescimento do PIB esteve atrelado aos preços maiores na comparação com 2019 e à maior produção anual, com colheita recorde de grãos, safras maiores também para o café, a cana-de-açúcar e o cacau e expansão da produção de aves, suínos, ovos e leite.

 

Pesquisadores do Cepea destacam, contudo, que, no caso da agricultura, parte do expressivo crescimento se tratou de uma recuperação. A renda real do segmento primário agrícola recuou 20% de 2017 a 2019, mesmo com a produção tendo crescido quase 20%, devido ao movimento desfavorável de preços. Além disso, para alguns grãos, o uso de modalidades de comercialização que envolvem venda antecipada tem sido intenso, e, por isso, muitos produtores não se beneficiaram ainda com a forte alta dos preços ao longo de 2020, especialmente porque o aumento mais intenso ocorreu quando a maior parte da safra já havia sido negociada.

 

Outro ponto importante destacado por pesquisadores do Cepea é que os custos de produção também subiram, embora não nas mesmas proporções dos preços dos produtos. A questão dos custos foi mais marcante na pecuária: além dos insumos de alimentação, que estiveram expressivamente encarecidos já que os grãos operaram em patamares recordes, no caso da pecuária de corte, deve-se destacar também as fortes elevações do bezerro e do boi magro.

 

 

Contato

pibcepea@usp.br

Equipe

Equipe

Coordenador científico do Cepea
Geraldo Sant'Ana de Camargo Barros, Ph.D 

 

Pesquisadores Cepea
Nicole Rennó de Castro, Dra.
Arlei Luiz Fachinello, Dr.  
Adriana Ferreira Silva, Dra.
Gabriel Costeira Machado, Ms.
Felipe Miranda de Souza Almeida, Ms. 

Rodrigo Peixoto, Dr.

Séries de Preços

Preencha o formulário para realizar o download
x
Deseja receber informações do Cepea?

Digite este código no campo ao lado